poliTICs 6

Em resposta ao potencial libertário da Internet, as práticas de cerceamento à liberdade seguem firmes e fortes em muitos países, como mostra o relatório de 2010 de Repórteres sem Fronteiras, cuja introdução traduzimos para esta edição da poliTICs.

Edição de março . Ano 2010

Movimento do Software Livre: por uma relação livre com a tecnologia

O impacto tecnológico, econômico, político e social que movimentos como o do software livre, a Internet, a Wikipédia, as “redes sociais” e outros parecidos exercem na sociedade contemporânea tem suscitado o interesse de diversas correntes do mundo acadêmico. De fato, tanto nas ciências da informação e computacional quanto em várias outras ciências sociais e interdisciplinares, inclusive na filosofia da tecnologia, há anos vêm sendo desenvolvidos diversos estudos que se poderiam classificar em dois tipos, conforme a ótica que seus autores adotam diante do fenômeno. Por um lado, existem estudos que observam esses movimentos “internamente”, em especial os que buscam entender seus modos de organização interna e de produção de tecnologia, além da sua mútua relação dinâmica.

RUTE, a Rede Universitária de Telemedicina

Neste artigo, oferecemos um panorama da rede RUTE, que foi criada há quatro anos com o principal objetivo de conectar hospitais universitários e instituições de ensino à infraestrutura de comunicação nacional da RNP, através da conexão destes às Redes Metropolitanas de Ensino e Pesquisa de 1Gbps em todas as capitais e algumas cidades do Brasil. Além disso, também eram objetivos da RUTE promover a criação formal do Núcleo de Telemedicina e Telessaúde nas instituições participantes da rede; fomentar a adequação das salas de videoconferência, teleconsulta e telediagnóstico; oferecer a homologação de salas de videoconferência; oferecer capacitação em TICs e videoconferência e fomentar a criação e manutenção de Grupos de Interesse Especial nas diversas especialidades da área da saúde.

Web 2.0 versus Controle 2.0*

Em países autoritários nos quais os meios de comunicação tradicionais são controlados pelo Estado, a Internet oferece um espaço único para discussão e compartilhamento de informações, tornando-se um motor cada vez mais importante para iniciativas de protesto e mobilização. A Internet é o caldeirão em que as organizações da sociedade civil que sofrem repressão pode ganhar um novo ânimo e desenvolver suas atividades. As novas mídias, especialmente as redes sociais, têm oferecido às pessoas ferramentas de colaboração com as quais é possível alterar a ordem social. Os jovens rapidamente se apropriaram destes espaços. O Facebook tornou-se um ponto de encontro para ativistas impedidos de se manifestarem nas ruas.

Regulação das TIC no contexto eróTICo brasileiro

No campo da política sexual, desde os anos 1990, a rede se tornou um instrumento fundamental de ativismo e advocacy. No Brasil contemporâneo, as demandas por direitos das mulheres e de lésbicas, gays, bissexuais, travestis e transsexuais (LGBT) que ganham visibilidade nos anos 1970 e 1980 constituem um traço marcante do processo de democratização do país, depois da ditadura militar. Atualmente, essas pautas estão mais bem desenvolvidas e contam com suportes legais e institucionais. Entretanto, as demandas feministas e LGBT não foram completamente respondidas, e os direitos já assegurados, por lei ou jurisprudência, tampouco são facilmente exercidos na vida cotidiana.

Páginas

 

Contato

Liga pra gente+55 (21) 3259-0370

Ou mande um e-mail

 

Endereço

Rua Sorocaba 219 / 501 parte

Botafogo . CEP 22271 110

Rio de Janeiro . RJ

Brasil